segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Um silêncio e um exagero - falta a coragem

"Quero lançar um grito desumano que é uma maneira de ser escutado. Esse
silêncio todo me atordoa e atordoado eu permaneço atento"... (Chico e Milton, em Cálice)


O silêncio as vezes me irrita, sabe como é, me faz duvidar das certezas que tenho.
Ao mesmo tempo em que há situações em que o silêncio é essencial e necessário...
Falar demais - pecar pelo excesso --
Falar de menos - pecar pela omissão --
A dicotomia é uma agonia, mas por si só é rica, faz-nos refletir...
Falo em primeira pessoa, pois a pequena cá repousa. Hj falo por mim!
Sim, sou contra a Censura, o AI 5, tanques de guerra, ditadura, excessos de poder, mordaças, injustiças, pois ainda me resta a #QualidadeDefeito de me indignar...
As vezes também me revolto com a censura do ser. A auto censura! Cercear as emoções, a essência de cada um e ainda os sentimentos.
Punir e maltratar o corpo e alma por causa das dúvidas e medos que nos perseguem! Por que não deixar livre também a expressão do coração aliada a da fala...
No entanto, dar asas libertas ao coração pode custar caro. Isso é um risco...
Ou que sabe, diria coragem...
Que muitas vezes falta, faz falta e damos por falta... Pode ser uma escolha, um medo, uma defesa.. Cada um sabe como é e aonde pode ir...
É como sempre digo, ainda tem pão doce! A Bahia é logo ali e Paris, em um minuto.

2 comentários:

Anônimo disse...

Faça o favor de voltar a escrever. Ora,merda!

Azul Limão

Selva Selva! disse...

você sem coragem? desconheço...