segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Estrada

"Você não sabe o quanto eu caminhei

Prá chegar até aqui; Percorri milhas e milhas

Antes de dormir; Eu nem cochilei

Os mais belos montes, escalei

Nas noites escuras de frio chorei, ei , ei

Ei! Ei! Ei! Ei! Ei!...

Meu caminho só meu pai; Pode mudar

Meu caminho só meu pai; Meu caminho só meu pai"...

(Composição: Toni Garrido / Lazão / Da Gama / Bino)


O quanto caminhou? Nossa, chegar até aqui, foi uma vitória incontestável...

No entanto, não vai tomar tempo a escrever sobre as dificuldades, que não foram poucas,

Afinal, o momento agora é de alegria... As milhas que andou, os montes, nem tão belos que escalou e a inúmeras noites de frio em que chorou, incansavelmente...

Tudo valeu a pena... Agora, existem novos montes para escalar e muitas milhas a percorrer.

Acredita que há muito para agradecer... A todos que contribuíram sempre, e aqueles que torceram pelo fracasso, mas que somente fazia-a querer progredir mais.

Logo, seu caminho, só o Pai pode mudar... Juntos em todo o caminho, a guia-la, como sempre fez.

À pequena travessa, valeu a pena, “caçadora de ilusões”

Um comentário:

Romainy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.