quinta-feira, 8 de abril de 2010

Foi assim como ver o mar!



Hoje faz um ano! Sim um ano depois!!!
Do dia em que viu o mar pela primeira vez...
Pena q ele não era azul... mas quem se importa... nesse caso, não menos seria a pequena.
Seus tons eram marrons, mas sua intensidade era intuitivamente selvagem...
Vendo aquela imensidão, sentiu-se pequena, mínima, no entanto, mesmo isso não a fez sentir-se nula, mas sim um graozinho de areia, que por alguns segundos fazia parte de tudo aquilo!
Naquele momento de introspecção, viu-se dentro si e teve a certeza da imensidão do mundo, de como é grande e de que a espera em algum lugar...
Jogou-se! Sim... Como repetem seus amigos: se joga!
Mas por enquanto, naquele instante, jogou-se apenas no mar...
Naquele mar, por sua vez, deixou o anel de tucum q a acompanhava por dois anos...
Pegadas na areia, seu sorriso demente e dois nomes escritos na areia, como aqueles de finais felizes de novela da oito (apenas)...
Hj um ano depois, ela sentiu saudade não apenas do mar e de toda coragem q teve durante aquela viagem, mas de toda coragem q teve na vida, da força e das decisões que tomou... Essa saudade já a atormenta a algum tempo...
No entanto, a controversa e esquisita tem a certeza q sua essência é a mesma, e sendo ela mesma ela própria, a força de que precisa somente ela sabe onde encontrar...
Neste abril, que ao contrário do passado não parece dezembro de um ano dourado, muitas coisas fazem aniversário de um ano... O Mar, o Rio, O taxista, o Reviver, os Olhos! Lembra-se de tudo, um ano depois!

2 comentários:

Quarto Poder SP disse...

Isso me faz lembrar uma música...deixa pra lá

Amapola disse...

Boa tarde.
Muita saudade!

"Foi assim... como ver o mar... a primeira vez... que meus olhos... se viram no seu olhar...(frase musical).

Um grande abraço. Bom domingo