domingo, 20 de novembro de 2011

Como começamos! The Last Time I saw

Começamos em 09 de setembro de 2008, com o post “Pra começar – J. Mitchell”

Neste link aqui http://ennayadsol.blogspot.com/2008/09/pra-comear-j-mitchell.html

Hoje não sei por que e muito menos como, decidi ir ao início e procurar uma resposta! Ao inicio do Blog, ok!

Talvez porque nos últimos meses ando tímida com as palavras, talvez um tanto preguiçosa.

Na verdade, acredito que a inspiração tem feito faltado...

Algumas pessoas me cobraram postagens, outras, talvez como eu, esqueceram as minhas escritas.

Vai saber, quem sabe!

Eu não sei!

O que acontece é que hoje queria mesmo era desabafar, embora ainda não saiba exatamente o que... Comecei escrever solto, e me lembrar “The Last time I saw” ... Comecei a me lembrar da última vez em que vi algumas coisas, pessoas, e até sentimentos! Lembrar de "Uns dias"

Talvez por que eu procure ver as coisas como se fosse a última vez em que as visse!

Não, não! Ultimamente deixei passar algumas coisas.

De qualquer forma, me disse esses dias um amigo sobre mim

“A menina sem medo de ser feliz”

Continuo sendo essa menina, essa pequena, confesso! O medo quem sabe tenha ficado maior que outrora!

Mas uma coisa é certa, ainda vivo a busca pela felicidade...

Sem lindas mentiras, ou com lindas mentiras necessárias!

O fato é que meus olhos continuam cheios de lua, e quero acreditar que o destino dos românticos seja um destino feliz...


"Last time I saw Richard was Detroit in 68

And he told me all romantics meet the same fate

Someday, cynical and bitter and boring someone

In some dark cafe

You laugh, he said you think you're immune,

Go look at your eyes

They're full of moon"

J. Mitchell - The Last Time I Saw Richard

3 comentários:

Selva Selva! disse...

saudade de vc escutando essa música... lembra?

Rose Dayanne disse...

Claro que eu lembro... Torturei muito vc tentando aprender está canção, confesso q ainda não hj vacilo em algumas partes...
saudades

Selva Selva! disse...

kkkkkkkkkkk...
mas é difícil mesmo... bem falada...