terça-feira, 20 de outubro de 2009

“[…] o valor do popular não reside em sua autenticidade ou em sua beleza, mas sim em sua representatividade sociocultural, em sua capacidade de materializar e de expressar o modo de viver e pensar das classes subalternas, as formas como sobrevivem e as estratégias através das quais filtram, reorganizam o que vem da cultura hegemônica, e o integram e fundem com o que vem de sua memória histórica.

Jesus Martín-Barbero em “Dos meios às mediações”.

Um comentário:

JULIANO TODESCO disse...

Olá Rose, aqui é o Juliano, desde já não precisa agradecer por ter visitado o seu blog até porque esse blog só tem coisa boa, textos ótimos e inteligíveis, seu blog precisa na minha opinião ser muito divulgado, andei lendo os posts, cada um mais legal que o outro, todos interessantes, estarei lendo sempre, gostaria muito de lhe convidar para ser seguidora do meu blog, para mim é um prazer ter uma jornalista no blog. Um forte abraço e obrigado pelos comentários. Desde já está convidada.