sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

A fábula do sapo

Acredito que todos já escutaram a famosa fábula do Sapo que vira príncipe.
"Uma linda princesinha estava passeando pelo o lago e vê um príncipe que fora amaldiçoado por uma bruxa má a ser eternamente um sapo. A princesa se apaixona pelo príncipe, beija-o e o encanto é quebrado. Casam-se e vivem felizes para sempre"
Enfim, o fim é igual em todos os contos de fadas, não é mesmo.
É com base nessa história que surgiu o famoso comentário "é preciso beijar muitos sapos para encontrar o príncipe encantado". Aliás, se é que ele existe mesmo...
Certa vez conheci alguém que tinha certo pavor de sapos, medo crônico mesmo. A medida que fora crescendo passou a colecionar objetos com formato e estampa alusivos ao anfíbio - cadernos, chaveiros, bolsas, blusas, canetas, bonecos, ursos.... Chamava todos os itens do mesmo nome - fulano pai, fulano mãe, fulano tio - e assim até completar a família toda (costumava pôr nome nas coisas).
O que há de mais interessante nessa história é que o tal alguém conheceu outro alguém, que por assim dizer, levava o nome de todos os itens anfíbios que colecionava... Um lance tipo - paixão a primeira vista, ou algo parecido...

Se eles se apaixonaram, casaram ou viveram felizes para sempre, eu não sei. Aliás, isso aqui é vida real, tenho pensado que os finais felizes existem apenas nos contos de fadas...

4 comentários:

SOL disse...

Queria conhecer mais pessoas "fabulosas" assim.

Gostei demais do seu texto resumo de Pirenopolis!

BJ

SOL disse...

PS. Ah. sou timido com as minhas fotografias. Ainda nao é tempo hahaha!

Anônimo disse...

Obrigado pela visita lá pela minha página.
Volte sempre.

Anônimo disse...

Obrigado pela visita lá pela minha página.
Volte sempre.
P.H.