segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Nada será como antes

Espera que, muito em breve, esteja com o pé na estrada...
Para onde? Acredita não saber;;; Apenas sente o desejo de partir.
Mas espera, ansiosamente, que as respostas não tardem a chegar...
A galope, via postal, fone, email, face to face. Espera respostas, em todos os sentidos da vida.

Qualquer dia a gente se vê... Será...
Num domingo qualquer, qualquer hora.
Quem poderá prever... Como antes, um ano depois.
Que incrível.
Sabe que é fato, não consegue esquecer.
Quem diria travessa, tão grande e tão pequena... Um ser paradoxal.

Enfim, sabemos que nada será como antes amanhã, nem depois de amanhã.
Que notícias me dão dos amigos?
Que notícias me dão de você?
Sim, há quanto tempo não se têm notícias...
Sei que nada será como está.
E então como será? Podes responder?!
Amanhã ou depois de amanhã
Resistindo na boca da noite um gosto de sol.
Sempre resistindo, mas porquê?


“Parafraseando – Nada será como antes – de Lô Borges”

Um comentário:

SOL disse...

Tanta coisa pra pensar lendo esse texto.
Muito bonito, um poema meio verso meio prosa!

BJ